Choque

Há uma grande tendência para ligar choque com uma hemorragia súbita, um acidente vascular cerebral ou um ataque, seja ele qual for. Também se chama choque à passagem de corrente eléctrica pelo corpo humano.

CONCEITO

O choque designa geralmente um estado de colapso do aparelho cardiovascular ou, melhor dizendo, a consequência de uma falência circulatória periférica generalizada, com perfusão tecidular inadequada.

O corpo humano é formado por milhões de células que, para se manterem vivas, precisam de alimentos e de oxigénio. Estes chegam até às células transportados pelo sangue.

Os nutrientes são conseguidos na nossa alimentação. Do ar que introduzimos nos pulmões é extraído o oxigénio que o sangue transportará. Junto das células, o sangue entrega os alimentos (nutrientes) e o oxigénio e, na continuação da circulação, transporta os subprodutos resultantes do trabalho celular que posteriormente são eliminados através de vários mecanismos (ex.: dióxido de carbono através dos pulmões).

Quando o transporte de oxigénio, nutrientes e produtos de excreção falha, por diminuição da velocidade de circulação ou por falha do veículo de transporte, há perfusão inadequada com falência circulatória periférica generalizada: há choque.

CAUSAS DO CHOQUE

» Lesões no coração (choque cardiogénico)

Se há lesões primárias no coração, este não trabalha perfeitamente bem e não consegue bombear o sangue por todo o corpo, o que desencadeia o choque.

» Perda de sangue ou líquidos orgânicos (choque hipovolémico)

Se a quantidade de sangue existente em circulação diminui em consequência de uma hemorragia, de uma queimadura ou de uma desidratação grave (diarreia, vómitos), o coração consegue bombear o sangue pelo corpo mas este não é suficiente para assegurar uma circulação eficaz e instala-se o choque.

» Vasodilatação (choque neurogénico)

Dilatação dos tubos por onde o sangue circula. Se houver dilatação destes tubos por falta de estímulo neurológico, a quantidade de sangue existente não chega para os manter cheios à mesma pressão, dado que estes aumentaram a sua capacidade surgindo, assim, o choque.

Sinais e Sintomas

  • Palidez (por vezes há mesmo uma palidez de cinza)
  • Diminuição da temperatura corporal
  • Pele húmida e, muitas vezes, viscosa (suores viscosos)
  • Há agitação inicial e depois apatia
  • Pulsação rápida e fraca
  • Ventilação superficial, difícil, rápida ou irregular e ofegante
  • Pode existir dilatação pupilar
  • A vítima pode ter náuseas e mesmo vomitar
  • Em muitas situações fica inconsciente
  • Sede (molhar os lábios apenas, não dar de beber)

Primeiro Socorro

Se a vítima está consciente:

  • Deitar a vítima em decúbito dorsal (de costas), com a cabeça baixa e as pernas levemente levantas para melhor circulação sanguínea
  • Desapertar-lhe as roupas no pescoço, peito e cintura
  • Animar e moralizar a vítima
  • Manter a temperatura corporal, por exemplo, colocando um cobertor por baixo (para não estar em contacto com o chão que está frio) e outro por cima da vítima
  • Não dar nada a beber

Se a vítima está inconsciente:

  • Colocá-la em posição de espera, ou seja, em Posição Lateral de Segurança (PLS) e reavaliá-la frequentemente até à chegada da ambulância.

O choque é uma situação muito grave que pode conduzir rapidamente à morte se não for corrigida. As medidas indicadas são meios de suporte que, geralmente, mantêm a vítima até à chegada ao hospital.

~ por Fran em Novembro 7, 2008.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: