Diabetes

No nosso organismo tudo necessita de se manter em equilíbrio para o seu bom funcionamento. Na linha de pensamentos deste princípio, a relação que se estabelece entre os hidratos de carbono (açúcares), que constituem alguns dos componentes da nossa dieta, e a insulina, substância que facilita, a nível celular, a degradação das moléculas complexas e a incorporação intracelular de açúcares mais simples (glicose), é em circunstâncias normais uma relação de equilíbrio. Assim, os desequilíbrios podem resultar do excesso ou defeito de qualquer destas substâncias – glicose ou insulina – dando origem a situações de Hipoglicémia (hipo = menos; glicémia = açúcar) ou de Hiperglicémia (hiper = mais; glicémia = açúcar).

HIPOGLICÉMIA

Fornecimento insuficiente de substracto calórico (glicose) devido a:

  • Jejum prolongado
  • Esforços físicos incomuns e em condições climatéricas desfavoráveis que aumentam os consumos energéticos do organismo
  • Dose excessiva de insulina exógena em doente que seja diabético e insulino-dependente

Sinais e Sintomas

  • Sensação de fraqueza
  • Fome
  • Palidez acentuada
  • Sudorese abundante e fria
  • Pele pegajosa
  • Pulso rápido
  • Ventilação superficial e tendencialmente deprimida
  • Convulsões – coma (muito pouco açúcar no sangue)

Primeiro Socorro

  • Se a vítima estiver consciente e conseguir deglutir, pode dar-se água com açúcar
  • Se a vítima estiver inconsciente, deve manter a via aérea permeável e colocar um torrão de açúcar debaixo da língua
  • Manter a temperatura corporal
  • Vigiar as funções vitais
  • Promover o transporte ao hospital

HIPERGLICÉMIA

Excesso de açúcares no sangue relativamente ao nível de insulina circulante. De uma forma geral, esta situação surge em indivíduos com propensão para diabetes ou mesmo em doentes diabéticos, medicados ou não. Pode surgir como causa directa de:

  • Uma refeição muito rica em hidratos de carbono (açúcares)
  • Falta de insulina exógena em doentes diabéticos e insulino-dependentes

Sinais e Sintomas

  • Fadiga crescente
  • Estupor (paralisia) progressivo(a)
  • Manutenção da prega cutânea/desidratação
  • Ventilação rápida, profunda e irregular
  • Pulso rápido e cheio
  • Hálito adocicado a fruta ou a acetona (hálito cetónico)
  • Face rosada e aspecto congestionado
  • Inconsciência – coma

Primeiro Socorro

  • Obter história clínica (o doente é insulino-dependente?; já administrou a dose de insulina diária?; o doente faz antidiabéticos orais?)
  • Manter as vias aéreas permeáveis
  • Vigias as funções vitais
  • Promover o transporte ao hospital

~ por Fran em Novembro 22, 2008.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: