Suporte Básico de Vida no Adulto

A cadeia de sobrevivência

A intervenção imediata nas situações de paragem cárdio-respiratória (PCR), mesmo antes da chegada dos profissionais de emergência pré-hospitalar, tem sido um objectivo a alcançar. Tal só poderá ser conseguido com a intervenção activa da população na aplicação das técnicas de Suporte Básico de Vida (SBV).

As técnicas de SBV visam a manter uma oxigenação e circulação adequadas, sem o uso de equipamentos que não sejam os necessários para assegurar as medidas de protecção, como o uso de máscara para insuflação.

Sendo a Fibrilhação Ventricular (FV) causa principal da PCR, caracterizada por uma contracção anárquica das células musculares cardíacas, o coração perde a sua função mecânica de bomba, com consequente paragem da circulação sanguínea. Nesta situação, o sucesso é tanto maior, quanto mais precoce for o início das técnicas de SBV enquanto a FV está presente.

Os primeiros minutos são decisivos para a sobrevivência da vítima e as acções a tomar devem ter em conta cada elo da cadeia de sobrevivência:

1º ELO
Ao rápido reconhecimento de situações que podem provocar uma PCR, tais como o enfarte agudo do miocárdio, a obstrução da via aérea e algumas situações de inconsciência, deve seguir-se o alerta, o qual deve referir a situação de PCR, para que possa chegar junto da vítima uma equipa apoiada com um desfibrilhador.

2º ELO
O início precoce das técnicas de SBV, logo que determinada a situação de PCR, mantém a circulação cardíaca e cerebral, permitindo um maior sucesso à chegada dos técnicos de emergência. Diversos estudos demonstraram que um período de compressões torácicas antes do início da Desfibrilhação Automática Externa (DAE) do músculo cardíaco e do Suporte Avançado de Vida (SAV) aumenta a hipótese de sobrevivência, particularmente quando o tempo entre o alerta e o SAV for superior a 5 minutos. Esta facto salienta a importância do início precoce das técnicas de SBV, no seio da população.

3º ELO
A desfibrilhação cardíaca, se aplicada nos primeiros 3 a 5 minutos após a PCR, aumenta exponencialmente as hipóteses de sobrevivência da vítima

4º ELO
O Suporte Avançado de Vida (SAV) eficaz aumenta as probabilidades de recuperação.

O que fazer?

Não fazer qualquer aproximação a uma vítima sem primeiro verificar as condições de segurança. Num cenário instável, o socorrista pode tornar-se mais uma vítima.

Garantida a segurança, aproximar-se da vítima e fazer a avaliação do estado de consciência, tocando suavemente os ombros e chamando por ela.

Se a vítima responder, deixá-la na posição em que se encontra, fazer o exame secundário e o alerta, reavaliando a vítima frequentemente enquanto não chegarem os ténicos de emergência.

ou

Se a vítima não responder aos estímulos, gritar de imediato por ajuda e colocar a vítima de costas para o chão.

Fazer a abertura da via aérea utilizando o método de extensão da cabeça com elevação do maxilar inferior e executar o VOS (Ver, Ouvir e Sentir) até 10 segundos, para avaliar se a vítima tem uma ventilação eficaz.

Ver – existência de movimentos toraco-abdominais
Ouvir – o ruído da inspiração/expiração
Sentir – a saída do ar na face do socorrista

TÉCNICA DA EXTENSÃO DA CABEÇA E ELEVAÇÃO DO MAXILAR INFERIOR

1. Colocar uma mão na testa, libertando os dedos indicador e polegar. Estes servirão para apertar o nariz se for necessário fazer insuflações.

2. Inclinar a cabeça ligeiramente para trás.

3. Dois dedos da outra mão são colocados sob o maxilar inferior, fazendo uma ligeira tracção superior.

Não considerar como eficaz uma respiração irregular e ruidosa numa vítima cianótica. Em caso de dúvida, se a vítima apresenta alguma ventilação espontânea (o socorrista sente o ar expirado pela vítima) mas não observa a existência de expansão torácica, actua como ausência de ventilação.

Se a ventilação for eficaz, colocar a vítima em Posição Lateral de Segurança (PLS) e, de preferência, pedir a alguém para fazer o alerta para não ter que abandonar a vítima. A PLS deve ser adoptada em todas as situações de inconsciência. Em caso de a vítima agravar o seu estado e passar para uma situação de paragem ventilatória ou cardíaca, esta posição permite que se possa voltar a vítima com facilidade para o decúbito dorsal (costas no chão).

POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA (PLS) – O SOCORRISTA

1. Retirar adornos (relógios, pulseiras, anéis, colares, etc.) à vítima.

2. Colocar-se de joelhos junto à vítima que deve estar de costas e com as pernas esticadas.

3. Coloca o braço da vítima mais próximo de si, para cima, ao lado da cabeça, com a palma da mão virada para fora.

4. Segura na mão contrária e leva-a até à face da vítima, do seu lado, com a palma da mão virada para fora.

5. Com a mão mais próxima das penas da vítima, segura a perna mais afastada da vítima, mantendo-a flectida.

6. Vira a vítima para o seu lado.

7. Mantém a mão da vítima debaixo da face e a cabeça em extensão.

8. A perna de cima deve ficar flectida de forma a formar um ângulo de 90º.

Nota: No caso de uma grávida, PLS deve ser feita para o lado esquerdo (“A fim de aliviar a pressão do útero grávido sobre a veia cava inferior, devem ser colocados sob o flanco direito da grávida, almofadas, sacos de areia ou cunhas apropriadas, por forma a permitir que fique com este flanco ligeiramente elevado. Assim posicionada, faz-se a compressão cardíaca nos moldes tradicionais.”)

Se a vítima não ventila ou ventila de forma não eficaz, faça ou peça a alguém para fazer de imediato o alerta e inicie rapidamente as compressões torácicas, colocando-se de joelhos junto do tórax da vítima.

TÉCNICA DE COMPRESSÃO TORÁCICA

1. Colocar a base de uma mão na metade inferior do esterno.

2. Não fazer pressão sobre as costelas, na parte superior do abdómen ou sobre o apêndice xifóide (ponta inferior do esterno).

3. Manter os braços esticados, perpendicularmente ao tórax da vítima.

4. Pressionar o tórax 4 a 5 cms, 30 vezes. Após cada compressão aliviar totalmente, sem perder o contacto com o esterno, e fazer as compressões a um ritmo de 100 por minuto. O tempo de compressão é igual ao tempo de descompressão.

Depois de fazer 30 compressões torácicas, faça a extensão da cabeç e elevação do maxilar inferior e execute 2 insuflações.

MÉTODO DE INSUFLAÇÃO BOCA-A-BOCA

1. Fechar o nariz da vítima com os dedos indicador e polegar da mão que faz a extensão da cabeça.

2. Mantenha a boca da vítima aberta.

3. Faça uma inspiração normal e adapte a sua boca à boca da vítima de forma a obter uma selagem perfeita e faça a insuflação.

Através do método boca-a-boca, ou através de uma máscara de bolso, insuflar suavemente, enquanto observa a elevação do tórax. Faça a insuflação durante um segundo. A quantidade de ar a insuflar é a estritamente necessária para elevar o tórax.

Afastar-se da cabeça da vítima e observar a descida do tórax. Faça nova insuflação. Após 2 insuflações, volta às 30 compressões torácicas.

Na impossibilidade de executar o método boca-a-boca, por lesão da boca, por incapacidade em obter uma boa selagem ou em vítimas de afogamento quando ainda na água, o método de respiração boca-a-nariz pode ser uma alternativa.

Se a insuflação inicial não fizer o tórax expandir, verifique:

  • Se há algum corpo estranho na boca; retire-o apenas se ele estiver visível, caso contrário não execute uma pesquisa às cegas. Reinicie de imediato as insuflações.
  • Se a posição da cabeça está correcta.

Não tente fazer mais do que as duas insuflações sem fazer compressões torácicas. Se houver mais do que um socorrista, trocar de posição após cada dois minutos para evitar a fadiga.

Manter as manobras de SBV até:

  • Chegar alguém mais qualificado e tomar conta da situação;
  • A vítima começar a respirar de forma eficaz;
  • À exaustão do socorrista.

Se por alguma razão não for possível efectuar a insuflação, deve fazer apenas as compressões torácicas a um ritmo de 100/minuto. Suspenda esta manobra logo que a vítima recupere a ventilação eficaz.

~ por Fran em Janeiro 4, 2009.

2 Respostas to “Suporte Básico de Vida no Adulto”

  1. Excelente texto. Estou mnistrando este curso para leigos e precisava alguma referencia menos técnica e mais detalhada de cada passo. Continue com estes artigos, Abraços.

  2. Obrigado. Para tal, o melhor é arranjar livros mais práticos :)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: